PASTORAIS DE MARÇO

5 de março de 2010 admin PASTORAIS DE MARÇO

PASTORAL DE 31/03/2013

SACRIFÍCIO E VITÓRIA
São estas as duas palavras que em minha opinião resumem a Páscoa.
A Páscoa que começou lá em Êxodo capítulo 12 quando após a 10ª praga, a morte dos primogênitos, finalmente Faraó permite que Israel fique livre. Então vitória pela libertação da escravidão e sacrifício porque foi a morte do cordeiro que teve seu sangue passado nos umbrais das portas que trouxe salvação nos lares que naquela noite tiveram seus filhos vivos quando o anjo da morte passou sobre o Egito executando o juízo de Deus.
A Páscoa cristã também é sacrifício e vitória: é sempre bom trazermos à memória que Cristo voluntariamente morreu por nossos pecados (ou seja, ninguém roubou a vida de Cristo, ele a deu por amor porque quis). Seu sacrifício foi movido por amor.
Todo o sacrifício que fazemos a Deus deve ser movido por amor também e talvez nos negarmos a fazermos qualquer sacrifício a Deus possa apenas externar nossa falta de amor por Ele!
E claro, vitória: a comemoração da Páscoa não pode deixar de lembrar o sacrifício de Cristo e nem tampouco que o final de tudo foi a ressurreição do nosso Salvador. Aleluia!
Sacrifício e Vitória devem vir a nossa mente na comemoração desta Páscoa hoje e nas próximas…

PASTORAL DE 24/03/2013

ALGUMAS PESSOAS DA IGREJA TÊM FEITO ALGO ESTRANHO
Salomão inicia a escrita de Eclesiastes descrevendo que a vida é uma mesmice, é cíclica. Curioso que a visão judaica comum é diferente disto, prevê um início, um desenvolvimento e um fim. Em expressões como “gerações vêm e gerações vão” (v. 1), “o sol se levanta e se põe” (v. 2), “o vento sempre segue o seu curso” (v. 3) Salomão explica esta sua tese da mesmice, do cíclico…
Confesso que em mais de 10 anos de ministério em vários momentos tendo a concordar e ver esta visão de Salomão na vida do crente: conversão, empolgação, envolvimento com a Igreja, amor pelas pessoas, busca de Deus e em seguida estagnação, envolvimento superficial, crítica às pessoas e problemas de relacionamentos… Quebrar este ciclo, esta tendência é que faz a diferença entre crentes e crentes comprometidos, é quando separamos “os homens das crianças”… Claramente e simplificadamente o que quero dizer é: o crente que se mantém no primeiro amor é um espécime raro e o número deles têm aumentado consideravelmente em nossa Igreja, graças ao Eterno!
Vale cada um de nós fazermos uma análise de si e tentarmos ser mais uma pessoa com esta “estranha atitude aqui na Igreja”, como muitos já temos, de gente que continua tendo prazer em servir ao Senhor e ao próximo, cultuá-Lo, de estar na igreja, de amar ao irmão, de fazer a obra e exercer o cargo e a função, de buscar mais de Deus na Palavra e em oração; enfim, coisas que hoje são estranhas aos crentes, mas que deveria ser o normal!

PASTORAL DE 17/03/2013

MANUAL DE COMO TRATAR QUEM SAI DA IGREJA
Os que saíram da sua Igreja e foram para outra!
Encerramos este assunto após falar dos que saíram da Igreja e foram para o mundo e os que estão dentro da Igreja, mas já estão fora dela; falando de quem sai da sua e vai para outra Igreja.
Neste caso, antes de lidar com quem saiu, temos que lidar conosco mesmos. Primeiro, quando alguém sai da sua Igreja e vai para outra não significa que aquela Igreja é melhor que a sua, da mesma forma quando alguém sai de outra e vem para sua Igreja, a sua não é melhor que aquela lá, compreendem? Igrejas são simplesmente diferentes, nada de melhor ou pior. Segundo, a pessoa que saiu de sua Igreja não se torna sua inimiga, não precisa excluí-la de seu Facebook ou passar do outro lado da rua ao vê-la, ela continua sendo aquela pessoa com defeitos e qualidades de antes. Terceiro, agora esta pessoa está em outra Igreja, o líder espiritual dela é outro, o compromisso dela agora é com eles, é saudável que ela crie raízes de verdade nesta nova Igreja, então ela pode visitar sua Igreja, mas leve-a a notar que a Igreja que ela deixou é agora como um parente que visitamos alegremente apenas nas férias, como um filho que sai de casa para estudar precisamos deixar este irmão partir, sem insistir que ele venha em nossas programações, que contemos como foi cada culto e atividade de nossa Igreja e cosias assim. Quarto, ao deixar uma Igreja sempre veja se é a vontade de Deus ou a sua, nada de sair brigado com irmãos ou líderes. Nunca mude de Igreja para mudar de vida, mudar de Igreja não muda vida! Enfim, a vida às vezes leva alguém a sair de nossa Igreja, que desejemos o melhor para a vida destes irmãos nesta nova fase deles!

PASTORAL DE 10/03/2013

MANUAL DE COMO TRATAR QUEM SAI DA IGREJA
Os que estão fora da Igreja dentro da Igreja!
O 1º grupo abordado foi como lidar com as pessoas que saem da Igreja para o “mundo”. Hoje o assunto é mais delicado, são irmãos que estão dentro da Igreja, mas já estão “fora” dela. Assim como uma pessoa que tem algum vício e tem dificuldade em reconhecer, estes grupos têm a mesma reação (“eu estou na Igreja!”), vamos lá:
1) os que vêm às vezes na igreja: eles não se consideram fora da Igreja, vêm a ela uma vez por mês ou coisa assim, geralmente estão atrás de “escudos” como trabalho, compromissos familiares, cansaço. Eles não se admitem “fora” da Igreja e pouco adianta dizer que eles deveriam estar mais vezes nela.
2) os que vêm à Igreja mas vivem uma vida mundana: a consciência destes está calma porque eles vêm à Igreja, mas já estão “fora” dela pois vivem uma vida dupla, tipo: coral-balada, culto-festinhas, acampamento-bebedice.
3) os que estão apenas sentados nos bancos da Igreja. Estão nos bancos, mas “fora” da Igreja, pois não perceberam que Deus tem mais para suas vidas do que estarem “sentados e satisfeitos”.
4) a nova categoria – os que estão em várias igrejas ao mesmo tempo: estão “fora” na medida em que acabam não sendo envolvidos nem aqui e nem lá, não criam vínculos profundos e vivem uma comunhão superficial e plástica (consumistas).
Para todos que estão “fora” da Igreja dentro dela, não adianta dizer nada, só devemos viver a vida comum da comunhão na Igreja e com isto mostrar o que estes irmãos perdem.
Continuaremos no próximo Boletim a pensar neste assunto.

PASTORAL DE 03/03/2013

MANUAL DE COMO TRATAR QUEM SAI DA IGREJA
Àqueles que foram para o “Mundo”
O assunto é amplo, complexo, importante e pouco se pensa nele: como tratar quem sai da Igreja? Alguns princípios:
- quando alguém sai da Igreja porque está desviado, foi para o “mundo”, devemos usar o conceito: “a pessoa desistiu da Igreja, mas a Igreja não deve desistir dela”. Não é ficar incomodando-a, mas sempre orar por ela, convidar para as coisas da nossa vida mesmo (aniversários, por exemplo) e quando houver uma brecha trazê-la de volta ao rebanho. Amar esta pessoa de verdade porque ela se sabendo amada um dia poderá voltar, como o pródigo sabia do amor do pai.
Ai existem dois tipos de pessoas, as que estão fora da Igreja e querem voltar e as que não querem voltar. O primeiro grupo talvez a Igreja possa ir até a pessoa, que tal marcar uma reunião na casa dela? Mandar SMSs e mensagens carinhosas e bíblicas? Convidar para momentos de culto na Igreja? O segundo grupo talvez o melhor caminho seja agir “astutos como as serpentes”, informalmente passar os conceitos bíblicos, conviver com esta pessoa na informalidade (convide-a ao shopping, ao jogo de futebol…), indiretamente dizer como você está feliz com Deus e a Igreja.
Continuaremos nos próximos Boletins a pensar neste assunto.

PASTORAL DE 25/03/2012

EU JÁ SABIA!

Há muito tempo Soren Kierkegaard, o filósofo e teólogo, já teve a ousadia de escrever: “A Bíblia é muito fácil de entender, mas nós cristãos somos um bando de vigaristas trapaceiros, fingimos que não somos capazes de entendê-la porque sabemos muito bem que no minuto em que compreendermos estaremos obrigados a agir em conformidade”.

 Coisas que nós já sabemos:

- Posso ser crente e não ir à Igreja, certo? Errado: Hebreus 10:25.

- A Bíblia aceita o relacionamento amoroso entre crente e não-crente? A Bíblia tolera, não recomenda e há graves consequências (vide Sansão): II Coríntios 6: 14-18.

- Posso ir em festas juninas e similares e em celebrações ecumênicas e coisas assim: óbvio que não – I Coríntios 10:14-22.

- Dízimo eu não dou porque é coisa do Antigo Testamento: Mentira – que tal Mateus 23:23?

- Depois de crente a gente continua pecando, né? Este “cai e levanta” é coisa comum, por causa da carne! Errado: o pecado vai ocorrer, mas não é o estado comum na vida do crente verdadeiro como supõem e vivem muitas pessoas: I Tessalonicenses 4:3 e Hebreus 12:14, por exemplo!

- Este negócio de sonhos e visões vêm de Deus? Não como hoje em muitas “igrejas de adivinhação”, a Bíblia diz claramente que isto é coisa de pagão: Deuteronômio 18:14.

- Efésios 5:18-21 diz que eu posso beber, é só não me embriagar! Errado, o ensino deste texto é sobre ser “embriagado (cheio) do Espírito”, não é um aval para beber…

Enfim, a Bíblia é clara em diversos pontos, precisamos só ter a coragem de reconhecer e viver!

E vai ter gente que vai dizer que este texto é legalista!!!

 PASTORAL DE 18/03/2012

O meu coração está explodindo de alegria!DOMINGO À QUARTA…

Comentei via Internet com os irmãos como têm sido bons os domingos na Igreja. Tenho escutado que no Clubinho com os Jovens e Adolescentes está sendo muito proveitoso, e tenho visto mesmo na vida de vários deles um compromisso maior com Deus, com a Igreja local, uma amizade cotidiana entre eles, o que são frutos deste bom trabalho.

Também o nível de edificação e compartilhamento na Escola Bíblica dos adultos na Igreja tem me surpreendido, e com a coordenação da Silvana e apoio de várias pessoas o ministério infantil aos domingos anda bem estruturado e proveitoso.

As celebrações aos domingos à noite têm sido ótimas; o louvor, independente de quem o faça, dirija, cante ou toque, tem sido muito gostoso, em boa parte porque a Igreja tem louvado junto. O clima dos cultos é tão bom que até o momento de avisos é edificante!

Realmente quando, por exemplo, vou pregar em outra igreja penso: “poxa, vou perder este domingo na IBS!”.

Queria falar do meio de semana um pouco, deste meio de semana… Nas atividades de segunda a quarta da IBS devemos ter uns 30 irmãos envolvidos. Ir Vanildo e Ir Antônio foram os únicos a irem em todas as programações, e olha que Ir Vanildo vem de longe e Ir Antônio, que já não é nenhum mocinho, trabalha pesado o dia todo.

O discipulado às segundas tem me surpreendido, Deus está agindo! Na 3ª no lar da Fabiana, além da reunião bacana, aquela comunhão informal, bate-papo, as crianças brincando no parquinho; ser Igreja é isto, ir além do culto (vale a menção à Fabiana, mesmo com a Laura novinha, ela está sempre na Igreja, no trabalho de Deus – é isto, filho é bênção, não empecilho!). Na 4ª Feira aquela barulheira maravilhosa da criançada brincando e mantemos a singeleza da reunião: oração, louvor e compartilhar (com profundidade).

Ah, como a gente perde de não estar com os irmãos!

 

PASTORAL DE 11/03/2012

 REFLITAMOS:

  

PASTORAL DE 04/03/2012

QUANTO É 2010 + 2011 + 2012 ?

O resultado desta conta é: estamos crescendo…

Crescendo em que? Por quê?

Estes números representam os 3 últimos anos, e pensemos neles acerca da Igreja, a começar pelos Temas de cada ano:

- 2010: Ano de Gideão / Ano da Poda – foi assim, nossas vidas e a Igreja foi trabalhada, limpa como diz João 15:2, agrupamos pessoas dispostas a lutar pela causa do Senhor como em Juízes 7: 3-7.

- 2011: Ano da Simplicidade – para avançar às vezes é preciso retroceder! Conforme Atos 2:46 “com singeleza de coração”, retomamos a visão de Deus para o proceder da Igreja.

- e 2012: Ano de Amar a Deus Sobre Todas as Coisas – se em 2010 e 11 foram anos de botar a Igreja nos trilhos, 2012 é o ano de aprofundar nossa relação com Deus de maneira a começarmos a sermos transformados, para depois também transformarmos a Igreja e o mundo, vai ser maravilhoso!

Poderia resumir também: 2010 limpou-se o terreno; 2011 preparou-se o terreno e algumas sementes já foram lançadas e 2012 mais sementes estão sendo lançadas e algumas (lá de 2011) começam a brotar… Ah, cuidemos das ervas-daninhas que sempre surgem em meio às plantações…

Quanto é então 2010 + 2011 + 2012 ? É:

- estamos mais maduros…

- estamos mais felizes, mais unidos…

- estamos numa crescente espiritual, de comunhão, de trabalho…

E para não dizer que não falei de números, em 2010-11 foram no rol de membros a mais: 9 batismos / 5 pessoas que vieram de outras Igrejas Batistas e 2 pessoas de outras denominações. Fora a ampliação do número de frequentadores…

A. W. TozerManual de Como Tratar Quem Sai da IgrejaPáscoa

Comments are currently closed.

2 Responses to “PASTORAIS DE MARÇO”

  • Weslene de Paula Tavares de Faria disse:

    Rodrigo,

    “Paz tenhas e que a tua casa tenha paz e tudo o que tens tenha paz!” 1 Samuel 25:6

    Desde que visitei sua igreja, recebo semanalmente este informativo tão edificante!

    Hj me dei conta de que, apesar de tão abençoada, nunca dei um retorno ao seu carinho e compromisso cristão.

    Como sou edificada com todo esse material!

    Que exemplo lindo e precioso recebo de vc com seu exercicio do dom que Deus te deu!

    Amado, que Deus te fortaleça sempre e que vc continue firme no proposito de exercer seu dom abençoando vidas!

    Nunca me apague de sua lista de contatos.

    Deus continue abençoando sua igreja! Admiro demais o trabalho que vcs desenvolvem ai!

    Mudei-me de Campinas e hj estou morando em G.Valadares-MG .
    Sou prima do Mateus da Seara Urbana.

    Um abraço
    Weslene

  • admin disse:

    Amém, Deus a abençôe ricamente!


Powered by WordPress and HQ Premium Themes.